18 de fevereiro de 2018

Coisicas Artesanais - Porta-momento-feliz ou Moldura pra tua mais fofa foto ;)

Com perdão do quase cacófato - não resisti ;P



Hoje venho publicar 3 porta-retratos.

Há uns anos imaginei fazer um projetinho pro mural de fotos da minha casa, um projeto em que eu pudesse replicar um poema da Camila Lordeli, que cria "poesia nas coisas" no seu Eulíricas... Nunca cheguei a concluir o projeto e ele não chegou a interagir com as fotos de viagens espalhadas pela parede-mural da minha antiga morada. Outras viagens vieram, novas fotos foram agregadas, algumas voltaram pro álbum, me mudei de casa, as fotos e o mural também... E o projetinho caiu no esquecimento. Mas não a beleza daquele poema. Esta permaneceu.

E agora eu tomo a liberdade de (aproveitando que estamos falando de fotos, de porta-retratos e de momentos que queremos guardar com carinho) citar o poema da Camila...

"Para que tenhamos o que fomos
e eternizemos o que nos seja breve
guardemos bem
meu bem
o que somos
para que o tempo não leve"
Camila Lordeli - Eulíricas

Lindo, né? ♥ ♥ 

Coisicas Artesanais - Simone dos Santos
Romantiquinho...


Coisicas Artesanais - Simone dos Santos
Barroquinho...

Coisicas Artesanais - Simone dos Santos
Fofo! :)

Descrição: Os três porta-retratos são de MDF, com placa de compensado no fundo e vidro para proteger a tua foto. Servem para fotos 10x15, ok? Todos têm furos no verso que permitem serem pendurados na vertical ou na horizontal (o que não serve muito pro último deles, por conta da posição dos corações). Saem a R$ 27 cada + frete. Se você gostou e quer comprar algum, entre em contato comigo pelo e.mail abaixo e a gente combina pagamento e entrega ;)

coisicas.artesanais@gmail.com
...............................................................................................................................................................

9 de janeiro de 2018

Entrevista com Felipe Callipo


Oba! Mais uma entrevista aqui no Coisicas! Adoro! :)

Acho que já disse aqui o quanto eu curto de montão essa sessão de entrevistas, né? Sim, porque é uma oportunidade muito bacana de conhecer um cadiquinho mais o artista por trás da obra e a pessoa por trás do artista...

Felipe Callipo é uma pessoa e um artista que eu admiro muitíssimo! O artista, que faz um trabalho belíssimo e conscientemente representativo da produção barroca ocorrida no Brasil nos tempos de colônia, eu já mostrei em outro post - leia aqui.

Agora vos convido a conhecer também a pessoa, "o cara", o Felipe "figura", o jovem simpático, bom de prosa, espirituoso e acessível, ao mesmo tempo brincalhão e discreto... 

Já havia algum tempo eu estava "me devendo" (e ao Coisicas) tirar uma horinha para sentar com ele e ter essa prosa. E eis que chegou a ocasião!

Cosicas Artesanais - Felipe, onde você nasceu e em qual data?
Felipe Callipo - Nasci em Mogi das Cruzes, interior de São Paulo, no dia 16 de setembro de 1978.

C.A. - Quais eram suas brincadeiras preferidas na infância?
F. C. - Era só futebol.

C.A. - Só futebol??
F.C. - Só, rs.

C.A. - Bola de gude, pipa... nada?
F. C. - Só futebol, rs...

C.A. - Rs... Tá... Nessa época você já tinha contato com o barro, certo? 
F.C. - É, porque eu aprendi a fazer com o meu pai, então, né... rs

C.A. - Sim... Aliás, o teu pai é um cara que eu também quero "trazer" aqui no Coisicas um dia, pra  mostrar o trabalho dele... Tô me devendo mais essa, rs... Bem..., na infância, você pensava em se tornar o quê quando crescesse? Ser escultor, assim como o teu pai, passava pela tua cabeça?
F.C. - Não. Eu sempre pensei em ser advogado, mas aí não tive dinheiro pra fazer a faculdade, aí eu fiz química, rs... Mas também não queria trabalhar em fábrica, porque eu sou meio preguiçoso, rsrs... Aí fiz artes, aí nas artes deu certo! rsrs...

C.A. - Ufa, ainda bem! Rsrs...  Então você fez escola de artes?
F.C. - É, fiz faculdade de artes. Porque o meu pai dava aula numa faculdade e porque ele falou que se eu queria ser um artista eu tinha que ter uma formação.

C.A. -  Humm... Você cresceu vendo o trabalho do teu pai e também já criava as tuas próprias peças e, então, veio a faculdade... Você acha que o aprendizado acadêmico mudou alguma coisa no teu modo de fazer as tuas peças?
F.C. - Não. Só que eu comecei a valorizar mais o popular... Eu gostava muito de arte renascentista, ah! Aquelas coisas maravilhosas, gigantes! E eu comecei a valorizar o popular. Mas foi participando e vendo e indo em museu... E hoje eu dou muito mais valor ao popular que ao erudito.

C.A. - Curioso, isso... Porque é muito comum ocorrer o oposto, né?... Que, após passar pela academia, alguns olhares releguem o popular a segundo plano ou o considerem "coisa menor"...
F.C. - Ah! E como eu posso?? O popular é a minha base, eu nasci no meio disso, faz parte da minha vida!

C.A. - É mesmo... E é muito interessante esse teu relato... Porque mostra a força cultural que o "meio" em que estamos inseridos exerce sobre nós, moldando nossas preferências, influenciando nossas escolhas, nossos modos de expressão (moralmente ou esteticamente)... E, vem cá... Quando vc se deu conta de que isso era "pra valer", de que isso seria o teu trabalho?
F.C. - Ói, é... acho que... quando eu tinha uns vinte, vinte e poucos anos, que eu comecei de fato a fazer peças com mais afinco, pra vender...

C.A. - E as peças sacras? Em que momento você passou a esculpir santos? Movido pelo quê?
F.C. - Ah, desde o começo... Comecei fazendo Divino. Quando era moleque, fazia Divino Espírito Santo. Eu sou de Mogi das Cruzes, lá isso é muito forte...

C.A. - Mais uma vez a força do meio... ;)
F.C. - É... E porque vendia muito também! rsrs Aí, uma coisa junta com a outra... rs

C.A. - Rs, tá certo... Bem, a demanda não deixa de ser também uma força (e contundente!) do meio, rsrs... Felipe, é correto afirmar que a tua linguagem é barroca, né?
F.C. - É... Eu busco o barroco paulista.

C.A. - Por quê?
F.C. - Porque tá acabando, ninguém mais faz... Eu não conheço 3 pessoas que fazem isso que eu faço, e é triste isso.

C.A. - O que te inspira nas tuas criações artísticas?
F.C. - Deixar alguma coisa pro futuro, porque eu tô vendo que hoje ninguém tá deixando nada pro futuro... Se a gente não deixar alguma coisa... vai ficar feio daqui há alguns séculos...

C.A. - Como foi no começo?
F.C. - Nossa!... O começo é difícil! Na verdade é difícil até hoje! rs... Mas no começo é muito mais difícil... Pra vc conseguir achar uma linha de trabalho, se encaixar no mercado... É complicado. Depois que encaixou, vai embora, a coisa segue, mas até chegar aí... é difícil, viu?...

C.A. - Você considera que hoje já está "encaixado"?
F.C. - Ah, eu já tenho um certo conhecimento do que eu tenho que fazer pra me dar bem, então é tranquilo.

C.A. - Felipe, você tem alguma dica ou mensagem que possa deixar para quem está começando a trilhar o caminho da cerâmica e da produção artística de imagens sacras?
F.C. - Não desistir. Porque... Acho que quando faltar um pouquinho pra alcançar, assim, vai dar uma vontade imensa de desistir, mas é não desistir. Eu tive dois, três amigos que tinham um trabalho muito bonito e que desistiram. Fui no shopping e vi um desses caras trabalhando numa loja de vender celular... Me cortou o coração, porque é um "p...to" dum artista! O financeiro falou mais alto, ele teve que buscar uma fonte de renda, mas dói o coração, então, a mensagem é não desistir!

Já em "OFF", com o gravador desligado...
Simone - Poxa, Felipe, super valeu! Obrigadíssima! Demais da conta!
Felipe - Ué!... Era só isso? Já acabou??...
Simone - Cabô-ué! Cê tá pensando que isso aqui é programa de televisão?? Rs...
Felipe -  Ah! Eu achei que tinha mais! Rsrs...

Coisicas Artesanais - Entrevista com Felipe Callipo
Felipe se divertindo em breve pausa de 'poses-chacota' impagáveis (e impublicáveis, rs...) 
feitas para as lentes do Coisicas Artesanais, enquanto trabalhava algumas de suas peças.
Revelando São Paulo - SP, dezembro de 2017 - Foto: Dagô

Felipe, querido! Muuuuuuito grata por essa entrevista aqui para o Coisicas! Te admiro muitíssimo, muito mesmo! Tanto pelo teu trabalho, que é de tirar o chapéu e que, mesmo sendo "popular", está carregado de erudição (se me permite o atrevimento de tal comparação, rs), como pela pessoa bacana, simples, simpática e super acessível que você é! Muito agradecida! É uma grande honra ter você proseando aqui  conosco no Coisicas! :)

Que você continue construindo e trilhando esse caminho tão belo e de maneira tão consciente (tão sabedora do que quer!), buscando nas tuas raízes, nas bases da tua formação enquanto indivíduo e nas coisas que aprendeu com teu pai, os elementos de que precisa para transformar fé e cultura típicas da nossa identidade popular em verdadeiras Obras de Arte!
...............................................................................................................................................................

8 de janeiro de 2018

Coisicas Artesanais - Quadrinhos de flores em madeira


Uns restos de tábua, uns tocos, ripinhas e flores em madeira, stencil, a letra de uma canção... Tintas,  cores, cera, pincéis, um quê de saudade e alguma inquietação...


"Para moças flores, janelas e quintais"
(Ponta de areia - Milton Nascimento e Fernando Brant)


Coisicas Artesanais - Simone dos Santos
Flores numa janelinha estilizada...


Coisicas Artesanais - Simone dos Santos
Ainda flores...

Coisicas Artesanais - Simone dos Santos
...e mais flores!

Medidas e valores: A primeira pecinha tem aproximadamente 19 cm de largura por 19,5 cm de altura e 3 cm de profundidade e sai a R$ 60,00 (+ frete). A segunda pecinha tem, aproximadamente, 12,5 cm x 9 cm, com 3 cm de profundidade e sai a R$ 30,00 (+ frete). Já a última pecinha tem, aproximadamente, 10 cm x 15 cm, com 3,5 cm de profundidade e sai a R$ 30,00 (+ frete).   

Para maiores informações, entre em contato:
...............................................................................................................................................................

20 de dezembro de 2017

Coisicas Artesanais - Plaquinha decorativa de Nossa Senhora da Humildade


Vocês conhecem Nossa Senhora da Humildade? Eu não conhecia até alguns anos atrás...

Para ser muito franca, não me recordo exatamente da ocasião em que vi uma dessas pela primeira vez... Sei que, a partir do primeiro "encontro" (possivelmente em algum museu), passei a me deparar (em vários outros museus) com muitas, inúmeras, dezenas destas representações cuja característica é, mais comumente, retratar uma Madonna sentada no chão (sobre um manto ou banqueta rudimentar), fato que denota a humildade que lhe estampa o título.

Bom, eu tenho as minhas manias... (E quem não?)... Uma delas é guardar folhetos e prospectos de exposições e museus - sempre que eles trazem impressões de imagens sacras que me tocam... Este aqui, eu mantive guardadinho por muitos anos, até que me visitasse um impulso incontrolável de tirá-lo da gaveta e trazê-lo para o alcance dos olhos...

Esta Madonna, cujo original pintado sobre madeira se encontra no Museo Nazionale di San Matteo, em Pisa, na Itália, é de Gentile da Fabriano e possivelmente data de 1420-1423. Obviamente, por se tratar de uma colagem com a reprodução não comercial de uma obra tão importante (e que tampouco fora criada para este fim), a pecinha não está a venda. Será dada como um mimo a uma amiga super querida... ;)


Coisicas Artesanais - Simone dos Santos
Madonna dell' Umiltà - Gentile da Fabriano

Descrição breve: colei o recorte da Madonna sobre papel cartão e apliquei sobre plaquinha de madeira bem fininha, onde tentei reproduzir os tons de fundo da peça original no intento de dar efeito de "continuidade" na sobreposição destas peças... Passei verniz fosco e arrematei com um ganchinho de arame "à la Demori". 


Madonnas



Na minha infância e adolescência a única Madonna de que eu tinha notícia era uma cantora pop que estourou nos anos 80, rs... Mas... muito antes daquela, já existiam outras Madonnas que eu ainda desconhecia... 

"Madonnas" são representações artísticas que, há séculos, retratam Maria com o Menino Jesus. Podemos "traduzi-las" como "Nossas Senhoras" (especialmente se retratadas com o Menino). Em algumas dessas representações encontramos a presença de elementos simbólicos da paixão ou da santidade de Cristo (um cardeal, uma fruta, uma cruz...), em outras, também é bastante comum a presença de São João Menino...

Existem inúmeras dessas Madonnas espalhadas nos museus do mundo inteiro (sobretudo no "velho mundo", berço do cristianismo) e retratadas sob os 
mais variados temas e títulos, alguns deles podendo parecer inusitados para nós... "Nossa Senhora do Parapeito" (retratada por trás de uma janela apoiando seu Menino, de pé sobre o parapeito), "Nossa Senhora do Leite" (retratada amamentando o Menino)...

Bem... devo confessar aqui que sofro de uma certa paixonite descompensada por essas Madonnas... Quando visito museus que têm salas dedicadas a essas representações, costumo ficar uma pequena eternidade diante desses quadros/telas/tábuas, embevecida, contemplando, lendo legendas, fazendo fotos dos detalhes...

Sobre esta que mostro hoje aqui, de Gentile da Fabriano, tornando a olhar para ela agora, mais atentamente (e talvez influenciada pela proximidade do Natal), me ocorreu que as tantas representações de "Nossa Senhora da Humildade", retratando quase que invariavelmente Maria sentada no chão com seu Menino, bem poderiam ser uma parte, um "recorte" do imaginário que cultivamos, há aproximados dois mil anos, sobre o que (e como) teria sido o nascimento de Jesus...

Assim, sentada no chão, contemplando seu Menino com serenidade, Maria bem poderia estar naquele estábulo, cercada por burricos e carneirinhos... José estaria ali bem perto, a um canto do "cenário", talvez mexendo a lenha para manter aquecido o ambiente... Nos dias a seguir começariam a chegar, curiosos, homens e mulheres da cercania, os Reis Magos com suas prendas para completar a cena... Não sabemos... O "enquadramento" destas obras nos permite ver tão somente a mãe e seu menino num momento de intimidade e cumplicidade reveladas no zelo do olhar e na aura acolhedora de confiança e amor que daí emana...

E quem, diante disso, precisaria do resto do "cenário"??

A propósito... um *FELIZ NATAL* a todos! 
...............................................................................................................................................................


18 de dezembro de 2017

PAP - un cuore di cartone!

Porque reciclar é preciso... e é possível ;)


A pecinha que apresento hoje foi total-inspirada numa imagem que vi (via pinterest) de um Blog super fofo!!! E, precisamente porque aquele blog e sua autora/artesã são italianos, o título deste post veio em italiano. Afinal, vai que o Coisicas aqui, além de ultrapassar a marca de 7 leitores, começa também a receber visitas de italianos?! Se este for o caso, ao menos o título eles poderão compreender: um coração de papelão! ;)

A peça original (veja aqui), criada por Annarita, do blog "Tutti guardano le nuvole" (todos olham as nuvens, em português), é  feita de madeira, mas quando bati o olho nela eu imaginei recriá-la com várias camadas de papelão e dar o acabamento com massa corrida ou F12... Na dúvida, experimentei os dois!


Coisicas Artesanais - Simone dos Santos - PAP coração de papelão

E aqui segue o nosso PAP de hoje! Um pouquinho trabalhoso, mas troppo facile! ;)

Você vai precisar de:

- papelão (daquela encomenda feita pela internet e que iria mesmo parar no lixo)
- molde no formato de coração
- lápis, tesoura e estilete
- pedacinhos de corda ou barbante (ou outra coisa que o valha - para fazer a alcinha de pendurar)
- fita crepe (para proteger a alcinha enquanto passa a massa)
- cola branca e pincel
- massa corrida ou "madeira em massa" F12 (usei nos tons ipê e sucupira)
- espátula e lixa (e um paninho úmido para tirar o pó da peça após lixada)
- cera incolor em pasta e paninhos (um para aplicar a cera, outro para lustrar a peça)
- esponja, betume e gel matizante
- para enfeitar o coração: cola quente, fitas, laçarotes, flores de papel ou rococós, rendas, cordinhas, barbantes OU o que mais lhe agrade ;)


Coisicas Artesanais - Simone dos Santos - PAP coração decorativo
Influenciada pelo belíssimo coração da Annarita, inicialmente separei flores e fitas

Se você ainda não tem um molde de coração, é possível fazer um dobrando uma cartolina ao meio e riscando uma "metade de coração" junto à dobra. Como eu precisava que o meu coração tivesse uma largura máxima que coubesse no meu papelão, eu tracei uma linha paralela à dobra (considerando a metade da largura que eu queria) para me guiar dentro do limite necessário. 
Risquei meio coração e, então, cortei sobre o risco (com a cartolina ainda dobrada). Feito isso, basta abrir o pedaço recortado e você terá um coração perfeitinho, sem o perigo de ficar torto! ;)

Observação: o meu coração ficou com, aproximadamente, 8,5 cm de altura e 9 cm de largura.

Coisicas Artesanais - Simone dos Santos - PAP coração decorativo

(Observe, pelas marcas de lápis na foto 1, que eu fiz vários riscos e fui apagando até chegar num desenho de coração mais gorduchinho, que era o que eu queria. Lição para a vida: nem sempre o que a gente se propõe a fazer dá certo assim, de primeira, rs). 

Faça o risco do molde sobre o papelão em número suficiente para montar um "sanduíche" com várias camadas de coração. (Considere uma proporção bacana entre o tamanho e a espessura da peça). Com a ajuda de um estilete, faça os cortes no papelão (seguindo os riscos) e teste a espessura mais adequada, sobrepondo várias camadas até decidir quantas são suficientes para o tamanho do teu coração. Para o meu caso, 3 camadas me pareceram o mais adequado.


Coisicas Artesanais - Simone dos Santos - PAP coração decorativo
Antes de colar as camadas, faça um teste para decidir qual a melhor proporção entre tamanho e espessura










Agora começa a brincadeira!

Faça uma alcinha com o barbante, dando um nó, e a ajuste sobre a primeira camada de papelão com as pontas/sobras pra dentro e a alcinha para fora (deixe o nó bem na beiradinha). Aplique cola por toda a superfície e cole uma segunda camada de papelão sobre esta primeira, fazendo um "sanduíche". Depois, cole a(s) camada(s) restante(s).


Coisicas Artesanais - Simone dos Santos - PAP coração decorativo
Tico e teco em colapso: acho que a ordem das fotos ficou 'zoada'... Mas dá pra entender, né? ;)

Coladas as camadas de coração, temos agora um "sanduíche". Espere a cola secar completamente (deixe o "sanduíche" sob um livro pesado para ficar bem coladinho). Passada essa etapa, é chegada a hora, então, de aplicar a massa corrida ou F12. Eu fiz um de cada para mostrar o resultado aqui procês

Observações: 
1- Antes de sair "besuntando" tudo, proteja a cordinha com uma fita crepe.
2- Comece passando a massa nas bordas laterais e em parte de uma das superfícies (afinal, você precisa segurar o "troço"), espere secar e depois passe a massa onde ficou faltando.
3- A espátula ajuda muito na hora de aplicar a massa, mas para alguns cantinhos eu acabei usando o dedo mesmo. Evite fazer isso, mas se, de toda forma, o fizer, lave bem as mãos assim que acabe a "lambança", retirando todo o produto da pele).
4- Gostei mais do trabalhinho feito com massa corrida.

Coisicas Artesanais - Simone dos Santos - PAP coração decorativo
"Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço"... As fotos me entregam: apenas protegi a cordinha do coração onde apliquei F12...










Daí, basta esperar a massa secar bem e, então, lixar para deixar bem lisinho. Muito possivelmente será indicado repetir a aplicação de massa para corrigir pequenas rachaduras que poderão ocorrer devido ao "comportamento" do papelão. O procedimento é o mesmo: passe a massa, cobrindo imperfeições e rachaduras, espere secar bem e, só então, lixe. Se quiser, na segunda "lixada" (porque só então o papelão estará mais protegido), você pode desgastar mais nas beiradinhas com a lixa, cuidando para não "machucar" o papelão. A partir daqui, como fiz dois modelos com materiais diferentes, eu tive dois processos de acabamento diferentes...

Para o coração de massa corrida eu escolhi aplicar betume "tabaco" nas beiradas, usando uma esponjinha suja com matizador (para espalhar o produto com mais uniformidade e dar um efeito de sombreado e "sujinho" de modo mais natural). No final, com a esponjinha carregada "quase nada", eu a esfreguei sobre a superfície do coração, apenas para tirar o "brancão" da massa corrida. Depois, passei um verniz fosco para selar e, depois de seco, apliquei cera em pasta e, por fim, lustrei.

Observação: por alguma razão que desconheço, as ceras em pasta custam muito a dar brilho se aplicadas diretamente sobre massa corrida, por isso passei a "selar" minhas peças nestes casos com verniz fosco ou, ainda, com tinta pva antes de aplicar a cera e lustrar. Tem funcionado ;) 

No fim de todo o processo, as fitas e flores que havia separado inicialmente ficaram de lado e eu decidi fazer um arranjo com palha da costa, folha de louro, pau de canela e sempre-vivas.

Já o coração feito com a massa F12, bem... Depois de lixado (obs.: esta massa é bem chatinha para lixar e ficar com efeito lisinho), eu apenas encerei e lustrei. Não consegui decidir ainda como finalizá-lo... 


Coisicas Artesanais - Simone dos Santos - PAP coração decorativo de papelão

Não duvido que, em breve (pois, por ora, estou sem), ele acabe portando mais um pombinho - para confirmar minha tara e predileção já conhecidas por todos aqui... rsrs... 

Outras possibilidades: essa técnica de sobrepor camadas de papelão pode render mil ideias criativas! É possível fazer dessas letras que agora estão na moda, um pássaro para enfeitar uma prateleira no quarto daquela tia mais querida, uma mini árvore de natal para a mesa de doces da ceia... Basta deixar a criatividade fluir! ;)


Coisicas Artesanais - Simone dos Santos - PAP coração de papelão - outras possibilidades
Outras possibilidades já em processo de "fazeção" ;)

E então? Alguém aí se animou?? ;)
...............................................................................................................................................................
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...